Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de março de 2014

FREI MARTINHO ABRAÇA O PROJETO MAIS BIBLIOTECAS

por Lau Siqueira

O município de Frei Martinho, no Seridó, realizou na última quarta-feira a mobilização paraibana do projeto “Mais Bibliotecas Públicas”. Uma ação da Fundação Biblioteca Nacional em convênio com o Centro de Desenvolvimento da Cidadania – CDC. A coordenação do Sistema Estadual de Bibliotecas e a Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego - FUNESC fazem parte desta mobilização. O evento colocou o município na vanguarda de uma política pública de rara importância para o desenvolvimento social, cultural, educacional e econômico das diferentes regiões brasileiras. A Biblioteca Pública Municipal Augusto dos Anjos existe há 30 anos. Mas, não existia nos cadastros da Fundação Biblioteca Nacional. Ao proporcionar a entrada no Sistema de Bibliotecas Públicas a gestão do prefeito Aído Dantas se qualifica para captar recursos e fortalecer  a Biblioteca Municipal. A mobilização paraibana em favor da ampliação do número de bibliotecas foi uma deliciosa provocação para que outras cidades se espelhem na sabedoria e na sensibilidade da gestão de um município paraibano, com pouco mais de 3 mil habitantes. Afinal, a própria capital João Pessoa não possui ainda a sua biblioteca pública municipal.

Políticas públicas para o livro e para a leitura são instrumentos poderosos de construção cidadã. As Bibliotecas cumprem um papel estratégico para a qualificação de outras políticas públicas. Muito especialmente a Educação, onde a leitura age diretamente na elevação da qualidade do ensino. São reais os avanços no Índice de Desenvolvimento  do Ensino Básico – IDEB, onde são desenvolvidos projetos de incentivo à leitura literária. Em Frei Martinho, a Biblioteca Pública funciona como instituição agregadora da comunidade. O ambiente é agradável, generoso e conta com o apoio fundamental da gestão para se transformar em referência no que tange às políticas públicas para o livro, a literatura e a leitura.

A presença do prefeito do início ao fim do evento, revela o interesse de um município que determina suas prioridades e seus parceiros. Tudo é uma questão de escolha. Como diz  a Bibliotecária Malena Xavier, coordenadora do projeto Mais Bibliotecas Públicas: “o que custa mais aos cofres públicos: um presídio ou uma biblioteca?” A Colômbia combateu e combate o crime organizado nas zonas vulneráveis das suas cidades, com políticas de leitura e boas bibliotecas. O que estamos esperando para intervir de forma efetiva nas guerras que desvastam nossas comunidades?  Uma biblioteca é uma instituição estruturante para as demais políticas públicas. A literatura é um direito do povo brasileiro. E este é um bom caminho para a Paraíba.

Este artigo estará publicado no Jornal A União da próxima sexta, 28.03.14

2 comentários:

Fernanda Ferreira disse...

Parabéns a tod@s @s envolvid@s nesta iniciativa.Que nossas autoridades em outros municípios sigam este belo exemplo!

Fernanda Ferreira disse...

Parabéns pela iniciativa à tod@s envolvid@s na organização e realização deste evento. Que nossas autoridades se mirem neste exemplo e mais e mais bibliotecas se espalhem por toda Paraíba, Nordeste, Brasil !!!